quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

A exemplo de José

Aos outros reservadas as conquistas, até aqui o destino me acolhera com os seus punhais. Da mesma forma que lamento tudo o que me sucedeu, pudera ter se lamentado, em igual intensidade, também José, o preterido filho de Jacó, descendente direto de Isaac, filho de Abraão. Sendo muito amado pelo pai, cuja vida fora sempre sombreada pela presença de Deus, José sofreu dos infortúnios da virtude, perseguido, com constância, pela inveja dos seus irmãos. Calhou que os mesmos atentaram contra o seu destino, vendendo-lhe a gentes estrangeiras. Auscultadas as suas preces por Deus, mesmo diante do lodo, da agrura, nunca padecera. À toda situação de adversidade, sobressaíra. Pois é assim com todos que se agarram a Cristo: para estes não há tempestade em que não se possa ver lampejos de bonança. Dessa forma, agradeço a Deus por terem se fechado a mim todas as portas, de sorte que, desde já, posso sentir os prenúncios de uma vida mais florida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário